Páginas

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Dica Pet: como evitar que o cão peça o alimento que você está comendo?

Por Alexandre Rossi

cao_pede_comida

Se o seu cão late, chora e até pula para pedir comida na hora em que você está sentado à mesa, é importante que você mude também suas próprias atitudes e não só as do animal.

Se, de vez em quando, você dá um pedacinho do que está comendo para o cão, ele pode associar que latindo ou chamando a sua atenção ele consegue um pouco da sua comida.

Para que ele não incomode mais você ou sua família durante as refeições e também para que ele não se acostume com “comida humana” – que não é balanceada para ele e em alguns casos pode até fazer mal – não dê nenhum alimento para ao animal enquanto você estiver comendo, não importa o quanto ele implore com aquela cara de pidão.

Ignore e também não dê broncas e nenhum tipo de atenção. Vendo que suas tentativas sempre fracassam, em pouco tempo seu cãozinho vai parar de pedir.

Texto: Alexandre Rossi
Revisão e Edição Final: Alex Candido

Hotéis para cães: como ajudar o animal a se adaptar

Por Equipe Cão Cidadão

hotel_cao

As férias chegaram, malas prontas, passagens compradas, hotel reservado! Mas nem sempre podemos levar nosso cachorro nas viajem de final de ano… Então, o que fazer nesta hora? Deixá-lo sozinho? Jamais!

Se você tem um cão, lembre-se que ele também faz parte da familia. Viaje tranquilo, mas antes garanta que seu cachorro também fique bem. E se não tiver algum parente ou amigo para tomar conta dele, uma boa saída são os hoteizinhos para cães!

Contudo, antes de deixá-lo no hotel, é necessário verificar alguns itens importantes, assim como: acomodações, limpeza, segurança do local, quais atividades oferecidas, etc…

Vacina em dia

Importante: a primeira coisa que você deve verificar é se a carteira de vacinação e de vermífugo esta em dia. Ir para um lugar desconhecido, longe de tudo que é familiar, pode deixar o cachorro estressado e causar uma baixa no sistema imunológico do animal, deixando-o mais vulnerável a doenças. Por isso, é muito importante que vacinas e vermífugo estejam em ordem. Verifique também se ele não esta com pulgas ou carrapatos. Caso seja preciso vacinar o cão, faça isso algumas semanas antes de ele ir para o hotel e, na dúvida, consulte sempre um veterinário de sua confiança pra checar se está tudo bem.

Fazendo as malas…

Quando estiver fazendo as malas do seu cãozinho, além dos brinquedos prediletos dele, mande também um pano com seu cheiro – pode ser um lençol, ou ate mesmo uma camiseta usada. O cheiro do dono e objetos conhecidos ajudam bastante a deixar o cão mais calmo, fazendo com que ele se adapte melhor neste novo ambiente.

E para uma melhor adaptação, outro item importante é saber a alimentação oferecida no hotel. Quando você muda de ração, o organismo do cachorro precisa se readaptar ao novo alimento. O ideal é dar a mesma ração que seu cachorro costuma comer no dia-a-dia. Caso não seja possível, vá trocando de forma gradual, a ração que será servida no hotel com alguns dias de antecedência, para evitar problemas como a falta de apetite, vômitos e desinteria.

E lembre-se: nada de chorar na despedida, Os cães conseguem sentir nossas emoções. Seu cachorro vai pensar: “Por que eles são tão chateados? Isso deve ser um lugar ruim!”. Sendo assim, controle sua ansiedade, aja de forma natural, para não deixar o animal nervoso e apreensivo.

Não se esqueça também de fazer uma visita hotel onde pretende deixar o seu cachorro, confirmar se as condições o satisfazem. Faça isto antes de tomar uma decisão. Procure hospedar o cão sempre no mesmo hotel. Assim, a adaptação dele será cada vez mais rápida e mais gostosa. Alguns cães se mostram felizes quando chegam ao hotel e reencontram pessoas que conhecem. Seguindo estas dicas, você poder aproveitar suas férias sossegado, sabendo que seu cão está curtindo as dele também!

Texto: Karina Prongrácz (Adestradora Cão Cidadão)
Revisão e Edição Final: Alex Candido

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Duas pessoas são atacadas por cão com suspeita de raiva, em Morro Agudo

Sem Foto Colocamos Essa

Duas pessoas foram mordidas por um cão com suspeita de raiva ontem à noite, no Centro de Morro Agudo. O cachorro da raça Fila escapou de uma casa e atacou as pessoas que passavam no local. A Polícia Militar precisou atirar contra o animal, pois mesmo acuado ele continuava a tentar morder as pessoas em volta.

Segundo a PM, pessoas que estavam na avenida São José chamaram a polícia para conter o animal, que já tinha mordido duas pessoas, às 18h de ontem. Quando a polícia chegou, isolou o Fila e chamou a proprietária, mas o cachorro continuava a tentar atacar as pessoas, de forma violenta.

A PM, então, atirou quatro vezes contra o cão, que foi sacrificado por um veterinário mais tarde. O departamento de zoonose da cidade vai investigar se o cachorro estava ou não com raiva.

As duas vítimas tiveram ferimentos leves, mas foram encaminhadas para a Santa Casa de Franca para tratamento anti-rábico. A Polícia Civil vai apurar se houve negligência da parte da proprietária do animal.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Cão ajuda polícia a encontrar drogas e armas no interior de SP


Do G1, com informações da TV Fronteira

Um cachorro ajudou a polícia a encontrar drogas e armas em Pirapozinho, a 564 km de São Paulo, na região de Presidente Prudente. A operação contou com 17 policiais militares que fizeram buscas em três casas apontadas como pontos de venda de drogas.

Em uma das casas, que fica no bairro Vila Santa Rosa, o cachorro encontrou um tablete com aproximadamente dois quilos de maconha, escondido embaixo de uma máquina de lavar roupa. Várias pedras de craque também foram aprendidas no quintal da casa.

Em uma outra casa, na Vila Soler o cão farejador também encontrou enterrados no quintal uma balança de precisão e um revólver calibre 38. As três casas eram usadas como pontos de venda de drogas há quase um ano, segundo a Polícia Militar. Durante a operação um adolescente de quinze anos foi apreendido e um homem foi preso em flagrante.

Como preparar o gato para a mudança de casa?

Por Equipe Cão Cidadão

gato_mudanca_casa

Os gatos são animais extremamente territoriais. Para se sentirem seguros, os bichanos precisam explorar e conhecer bem todo o território. Esta característica os torna muito mais sensíveis a uma mudança de residência. Alguns felinos podem ficar entocados, parar de se alimentar, ou até fugir.

Preparando o gato

A caixa de transporte é útil, segura e deixa o gato mais tranqüilo durante o transporte. Caso seu gato já não esteja acostumado a usa-lá é hora de acostumá-lo! Os felinos já por natureza, gostam de entrar dentro de tudo que se pareça com uma toca e você pode incentivar que ele comece a entrar sozinho e com mais freqüência, colocando alimentos ou o catnip dentro dela. Inicialmente, mantenha sempre a porta aberta, depois feche por pequenos períodos. Nunca associe a caixa de transporte com broncas ou castigos.

Durante o período da mudança mantenha todos os objetos do bichano, não compre nada novo. A mesma cama, comedouro, bebedouro e brinquedos devem ir para a casa nova. Ele se sentirá mais seguro num ambiente estranho, ao identificar os objetos que ele já conhece.

Uma semana antes da mudança, como precaução, diminua um pouco a quantidade de alimento oferecida ao felino, sem pular nenhuma refeição. Você também pode deixar a comida mais gostosa com alimentos úmidos próprios para gatos. Assim após a mudança ele estará mais estimulado a continuar comendo. Não troque a ração neste período.

Na casa nova

Ao chegar na nova residência, arrume um quarto tranqüilo, que já esteja com os móveis no lugar e prepare o ambiente. Nele devem estar, a cama e os demais utensílios e brinquedos, inclusive a caixa higiênica com o granulado com que o seu gato está acostumado. Coloque a cama, água e comida de um lado do quarto e a caixa sanitária do lado oposto, distante da cama.

O bichano deve ser colocado neste ambiente por alguns dias junto com a caixa de transporte. Não o force a sair dela e não tire a caixa do quarto, mesmo depois que o gato tenha saído, pois alguns gatos se sentem mais protegidos dentro dela.

Quando ele estiver adaptado, aos poucos, pode ter o acesso liberado para o restante da casa. Os sinais de que o felino não está estressado e que essa liberação pode começar a ser feita são, comer e brincar. Porém, nos primeiros dias fique atento e observe também se ele, bebe água, urina e evacua normalmente.

Cuidado com as fugas

Durante o período inicial após a mudança, o gato pode querer fugir, na tentativa de voltar para o antigo território. Por isso, não deixe que ele tenha acesso a rua, tome cuidado com portas e janelas, até que ele se acostume com a nova residência. Coloque nele uma coleira com identificação e telefone.

Texto: Claudia Terzian (Adestradora Equipe Cão Cidadão)

Revisão e Edição Final: Alex Candido

terça-feira, 27 de abril de 2010

Saiba Mais Sobre o Rinoceronte Indiano

Rino

RinoNOME COMUM: Rinoceronte-indiano
NOME EM INGLÊS:
Greater Indian Rhinoceros
NOME CIENTÍFICO:
Rhinoceros unicornis
REINO:
Animal
FILO
: Chordata
CLASSE
: Mammalia
ORDEM:
Perissodactyla
FAMÍLIA:
Rhinocerotidae
COMPRIMENTO:
cerca de 3 metros mais de 60 cm para a cauda
ALTURA:
1,70 metros na cernelha
PESO
: em torno de 2 mil kg
CHIFRES:
Possui um chifre só que é usado para abrir caminho no mato. O chifre é tão importante para os machos quanto para as fêmeas.. Muitos rinocerontes indianos esfregam o chifre em superfícies abrasivas. O chifre, mede em torno de 22 c e é feito de queratina (substância parecido com a unha) e cabelo.
Rino  cabeçaAGRESSIVIDADE
: São menos agressivos que seus parentes africanos.
PERÍODO DE GESTAÇÃO:
17 a 18 meses (480 dias)
NÚMEROD E FILHOTES: 1
DESMAME:
18 meses
MATURIDADE SEXUAL:
Fêmeas até 4 anos e machos até 9 anos. As fêmeas normalmente dão crias a cada 3 anos
TEMPO DE VIDA:
acima dos 45 anos
GRUPO FAMILIAR:
solitário
ALIMENTAÇÃO:
Gramas, plantas aquáticas, ramos, folhas.
PRINCIPAIS PREDADORES:
Homem e o tigre
HABITAT:
Gramados e florestas abertas no Nepal e a Índia nordeste.
DISTRIBUIÇÃO:
Nepal e a Índia nordeste.

Rino cabeça

STATUS: Este animal foi implacavelmente caçado e hoje só é achado nas planícies junto ao Himalaia, e em algumas reservas biológicas de Assam e do Nepal. É uma das 5 espécies de rinocerontes que existem no mundo selvagem. O rinoceronte-indiano está em perigo de desaparecer. A superstição sobre os poderes medicinais de seu chifre é que trouxeram esta espécie ao perigo da extinção.

Eles possuem uma visão pobre mas conseguem virar bastante as orelhas proporcionando uma ótima audição. Eles também possuem um excelente faro.

Esse paquiderme (animal de pele espessa) tem corpo grande e cabeça pequena. Sua pele é mais grossa que a do elefante. E nas coxas, nos quartos traseiros e na parte de trás, a pele está dividida em grandes placas separadas por sulcos. Essas placas consistem em muitas papilas semelhantes e escamas e presas em uma base de tecido flexível. A cauda fica completamente escondida pe,a placa anal. Sua cor varia do cinza-escuro ao castanho-avermelhado.

RinoEle não gosta do calor. Prefere viver junto à água, onde dorme durante o dia e pasta à noite. Existem 2 outras espécies na Ásia: o rinoceronte de Java - Javan Rhino (Rhinoceros sondaicus) e o rinocertonte de Sumatra – Sumatran Rhino (Dicerorhinus sumatrensis) . Este último é menor e possui 2 chifres, como o rinoceronte africano.

Rinos

Lúcia Helena Salvetti De Cicco
Diretora de Conteúdo e Editrora Chefe

Fonte:Saude Animal

Os Mitos das Florestas De Animais

Os mitos e lendas brasileiras andam pelos lares de nosso povo assustando e fazendo a imaginação voar. Às vezes, estão em vários lugares diferentes ao mesmo tempo. Os nomes podem variar e algumas características também, mas suas histórias e aparições não morrem. A cultura indígena do Brasil tem todo um repertório de lendas mais ligados às coisas da natureza, envolvendo animais, estrelas, rios e plantas e. algumas dessas lendas misturaram-se às crendices dos brancos católicos, Vamos conhecer algumas dessas lendas que envolvem animais.

BOTO E IARA - diz-se que o grande golfinho do rio Amazonas se transforma num homem branco, alto e forte, que gosta de beber e conversar, e que geralmente seduz moças para engravida-las, desaparecendo depois. Mas há umas poucas versões que contam da capacidade do Boto de se transformar também numa mulher atraente, que conquista o homem para leva-lo para o fundo das águas - uma história que se confunde com a da Iara, Esta, uma espécie de sereia dos rios amazônicos, canta e seduz os que vivem perto das margens, carregando-os para o fundo assim que os conquista.

LOBISOMEM - Quando um casal tem filhos, todos meninos, precisa fazer o mais velho batizar o mais novo, para que este não se torne um Lobisomem. No caso de sete meninas, deve ser feita a mesma coisa para que a garota não vire bruxa. Dizem que é fácil identificar os Lobisomens: são esquálidos, pálidos, com um tom amarelado nas faces. Os indivíduos que têm tal sina transformam-se de quinta para sexta-feira. Na região Centro-sul do Brasil acredita-se que, se o sujeito for branco, vai aparecer na forma de um enorme cachorro preto; se for negro, o cachorro será branco. Apesar de meter medo nos homens, com suas pernas traseiras mais longas que as dianteiras, muitos dizem que o Lobisomem só sai para comer fezes de galinha. Se não há galineiros, ele então procura crianças com fralda. No Norte, acredita-se que Lobisomem ou Bruxa será o sétimo filho ou filha do casamento de um padre.

BOITATÁ - Lenda muito forte no Sul do país, refere-se ao duende que, numa noite de tempestade, aproveitou para comer os olhos das carniças dos animais, vítimas de enchentes. Passou, então, a ser um luzeiro ambulante e transparente. No verão, onde há carniça, o Boitatá sempre aparece na forma de uma bola-de-fogo amarelo-azulada, que desaparece de repente. Outros dizem que ele é , na verdade, uma cobra de fogo que percorre Campinas, mergulha nas lagoas e guarda as cavernas, buracos na terra, onde estariam guardados tesouros dos tempos dos jesuítas.

BEM-TE-VI -Pelo som do seu canto, o Bem-te-vi é chamado de Triste-Vida, Tempo-Quer-Vier, Tique-Te-Vi e Te-Vi. No Rio Grande do Norte, ele é malvisto porque gritou muito quando Nossa Senhora procurava fugir para o Egito com São José e o Menino Jesus. Mas o Bem-Te-Vi, que sabe de tudo, costuma também anunciar visitas. Pergunta-se"que tu vistes?" - se ele responder imediatamente, é visita de homem; se demorar, é mulher que vem.

JOÃO DE BARRO - É tido como passarinho trabalhador e inteligente. Seu canto parece uma gargalhada (no Sul dizem que, quando ele canta, é sinal de bom tempo) e é amigo de todos, lutando para salvar seu ninho, sua casa. Um dia, conta-se, brigou com Tapera (andorinha), que chegou a dominá-lo e despejou-o do ninho ainda em construção. A fêmea, conhecida como "Joaninha-de-barro" ou "Maria-de-Barro", ajuda na construção do ninho, mas parece não ser constante, abandonando o macho. O João-de-Barro é fiel até o fim e, por isso, quando percebe que a esposa mudou de amor, tampa a abertura da casa, fechando-a para sempre.

CAIPORA - É um homem com o corpo coberto de pêlos que anda montado num "Queixada", ou porco-do-mato. Muitas pessoas dizem que ver o Caipora dá azar, provavelmente porque ele é tido como protetor dos animais do mato atrapalhando os homens que saem para caçar. No Acre, Caipora é mulher: aparece como uma caboclinha muito esperta, pequena, robusta, com a cabeleira cobrindo-lhe o sexo, e que só dá caça a quem lhe der de fumar. Quando se apaixona, é ciumentíssima.

NEGRINHO-DO-PASTOREIO - Este, sim,é um ente exclusivo do imaginário dos gaúchos. Contam que, no tempo dos escravos, um senhor de terras que só tinha olhos para cavalos e para o único filho, punha um negrinho seu escravo para cuidar da tropa, mas o menino era sempre enganado pelo filho do fazendeiro, que espantava os cavalos e punha a culpa no negrinho. Um dia, depois de muito açoitar o escravo, o senhor colocou o negrinho na boca de um formigueiro, para ser "Comido" pelos bichinhos. Três dias se passaram e o senhor acabou encontrando o negrinho perfeitamente são, por obra e graça de Nossa Senhora. Levando os cavalos pela pradaria afora. O Negrinho do pastoreio tornou-se protetor dos animais e das pessoas perdidas no campo Quem perdeu algo no pasto também pode d=pedir ajuda a ele, bastando apenas acender um toco de vela à noite, de preferência no fundo escuro do quintal.

MULA-SEM-CABEÇA - Moça que transa antes do casamento, ou comadre que se liga com compadre, ou mulher que casa com padre, vira Mula-Sem-Cabeça. Ela também é conhecida , no Nordeste, como Lula-de-padre. Aparece nas sextas-feiras e, quando encontra uma pessoa, chupa-lhe os olhos, as unhas e os dentes, além de soltar fogo pelas ventas. Outra coisa que faz a Mula-sem-cabeça aparecer é a pessoa passar correndo diante da cruz à meia-noite.

UIRAPURU - "Um jovem guerreiro apaixonou-se pela esposa do grande cacique. Como não poderia se aproximar dela, pediu à Tupã que o transformasse em um pássaro. Tupã transformou - o em um pássaro vermelho telha, que à noite cantava para sua amada. Porém foi o cacique que notou seu canto. Ficou tão fascinado que perseguiu o pássaro para prendê-lo. O Uirapuru vôou para a floresta e o cacique se perdeu. À noite, o Uirapuru voltou e cantou para sua amada. Canta sempre, esperando que um dia ela descubra o seu canto e o seu encanto. É por isso que o Uirapuru é considerado um amuleto destinado a proporcionar felicidade nos negócios e no amor."

SUCURI - É uma das mais conhecidas lendas do folclore amazônico. Conta a lenda que em uma certa tribo indígena da Amazônia, uma índia, grávida da Boiúna (Cobra-grande, Sucuri), deu à luz a duas crianças gêmeas. Um menino, que recebeu o nome de Honorato ou Nonato, e uma menina, chamada de Maria. Para ficar livre dos filhos, a mãe jogou as duas crianças no rio. Lá no rio eles se criaram. Honorato não fazia nenhum mal, mas sua irmã tinha uma personalidade muito perversa. Causava sérios prejuízos aos outros animais e também às pessoas. Eram tantas as maldades praticadas por ela que Honorato acabou por matá-la para pôr fim às suas perversidades. Honorato, em algumas noites de luar, perdia o seu encanto e adquiria a forma humana transformando-se em um belo e elegante rapaz, deixando as águas para levar uma vida normal na terra. Para que se quebrasse o encanto de Honorato era preciso que alguém tivesse muita coragem para derramar leite na boca da enorme cobra, fazendo um ferimento na cabeça até sair sangue. Mas ninguém tinha coragem de enfrentar o enorme monstro. Até que um dia um soldado de Cametá (município do Pará) conseguiu libertar Honorato do terrível encanto, deixando de ser cobra d'água para viver na terra com sua família.

A superstição popular aconselha que, quando alguém enxerga assombrações desse tipo, deve deitar-se de bruços e esconder as mãos. Quem vê alma do outro mundo também não deve acender as luzes ao chegar em casa, devendo esperar o clarear do dia.

Lúcia Helena Salvetti De Cicco
Diretora de Conteúdo e Editrora Chef

FOME ESPECIFICA e HÁBITO DE ROER DOS CÃES

O organismo dos animais em geral e dos cães em particular, quando privados em sua alimentação de algum elemento dietético necessário ao seu bom desenvolvimento corporal (físico), faz com esses animais procurem na natureza aquilo que esta lhes faltando na alimentação. Quando lhes faltam por exemplo: Cálcio ou Fósforo - comem terra, lambem parede, ou objetos de barro como moringas, potes, etc. É essa a chamada fome específica, não mais presente entre nós humanos (perdemos essa característica pela nossa chamada Civilização), porém, entre os animais ela e evidente e facilmente comprovada. Uma boa alimentação deve conter todos os elementos necessários ao desenvolvimento harmônico do corpo do animal, e em geral uma ração balanceada de boa qualidade contem todo o necessário.

Devido o rápido desenvolvimento corporal dos cães, bastando para realçar esse fato citar-se que um cão atinge seu completo desenvolvimento e maturidade com apenas 1 e meio a dois anos, torna necessário portanto, que os cães sejam alimentados de forma intensiva, principalmente em sua primeira infância (do nascimento ate os 4 meses de idade), e que essa alimentação seja balanceada (contenha todos os elementos necessários, tais como sais minerais, aminoacidos (proteínas), essenciais, gorduras, hidratos de carbono, vitaminas e micro-elementos em geral). Resumindo, a ração (comida), além de completa em seus constituintes deve ser também na quantidade necessária (nem excessiva que possa causar obesidade, nem insuficiente que venha causar outros malefícios decorrentes.

Esse preambulo foi necessário, a fim de ser entendido no que procurarei agora explicar, quanto ao fato da maioria dos filhotes cães, apresentarem esse habito de roerem objetos que lhes estejam ao alcance, como sapatos, chinelos, pés de mesa, brinquedos de crianças que lhes sejam acessíveis, etc.

HABITO DE ROER: Surge as vezes quando o cão é recém desmamado (30 a 45 dias de idade), e nesses casos duas razões são as determinantes:

  1. Ou a alimentação esta incompleta em seus constituintes, ou a sua quantidade é insuficiente.
  2. Alguma doença concomitante, como verminose, que está determinando como participarão pelos vermes contidos em seu aparelho digestivo na sua alimentação. Em alguns casos, muito especiais, pode existir alguma causa orgânica ou fisiológica, que esteja impedindo a perfeita assimilação do alimento, que embora sendo servido ao animal, este ano tem capacidade para sua assimilação e aproveitamento para seu desenvolvimento.

No primeiro caso anterior, basta corrigir o que estiver errado na alimentação, ou substituindo a qualidade da ração ou sua quantidade. Já no segundo, o tratamento para correção desse habito, basta ser administrado o vermífugo indicado, quando a causa seja uma verminose, ou tratamento da moléstia nos caso. Por ocasião da muda da dentição de leite pela permanente, ocorre freqüentemente também esse hábito de roer, motivado pela irritação causada às gengivas pelos novos dentes aflorando e empurrando os dentes de leite. Recomenda-se em todos os casos, prévio exame parasitológico de fezes, para saber-se as espécies de vermes que estejam parasitando o animal, afim de possibilitar a administração do vermífugo que melhor se preste para tal verme parasita.

O habito de roer, aparece na maioria dos casos, por ocasião da muda dos dentes (entre 3 meses e meio até 6 meses de idade, variável conforme a arca do animal). Os dentes da dentição definitiva nos cães, que estão para vir substituir a primeira dentição (chamada de leite), ao irromperem na gengiva provocam dor e forte necessidade do cão morder, e para isso e necessário algum objeto duro, motivo pelo qual os cães nessa idade procuram alguma coisa para isso, e habitando nossas casas , serão os objetos que lhes estejam acessíveis, tais como nossos chinelos, pés de mesa, etc !!! O que fazer nesse caso? Simplesmente fornecendo-lhes algo de consistência dura e firme, como um osso ou mesmo algum objeto de borracha, como fazemos com nossos bebes nessa fase, dando-lhes chupetas ou o clássico anel de borracha para ser mordido.

O dono do cão, com ele convivendo e assim tendo oportunidade de o observar dioturnamente, e a pessoa mais indicada para informar ao profissional Veterinário os hábitos do seu cão, e assim, orientar da melhor forma de corrigir esse habito da infância , que caso ano seja corrigido quando o cão e ainda jovem, dificilmente o será na idade adulta, pelo fato de na idade adulta quando não corrigido na infância, haver se tornado efetivamente habito !!!

Recomenda-se portanto aos proprietários de cães duas coisas:

  1. Observação de como o habito se instalou e as possíveis causas determinantes (alimentação, muda de dentes?)
  2. Quais os alimentos (ração) dados ao animal? E suas quantidades nas diferentes épocas de seu desenvolvimento?

Com essas informações um Veterinário competente tem os meios para o diagnóstico da causa, e correção (quando possível) do vicio.

Carmello Liberato Thadei
(Médico Veterinário - CRMV-SP-0442)

São Jo sé do Rio Preto - SP

Fonte Saude Animal

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Cãominhada reúne animais de lencinho, boné e até de capacete

Sem foto Colocamos Essa

O domingo foi de muita diversão para cachorros que compareceram à primeira Cãominhada Paulistana, na Avenida Escola Politécnica, zona oeste. Segundo a organização, cerca de 7 mil carros passaram pelo estacionamento do local. Havia cães de lencinho no pescoço, boné, vestidinho e até de capacete.

A largada da caminhada dos cães foi dada às 10 horas e, durante o trajeto de 800 metros, os donos dos animais podiam parar nas tendas de serviços gratuitos, como atendimento veterinário, caricaturas e fotos, e de ONGs, que orientavam sobre tratamento dos bichos, adoção e combate aos maus-tratos.

O evento é tradicional em Santos, litoral paulista, e aconteceu pela primeira vez na capital. A professora Sônia Regina Nogueira Martins, de 50 anos, levou a cachorrinha Julie, da raça lhasa apso, para caminhar. Já a compradora Karina Guedes Kakuda, de 31 anos, chegou cedo ao local e conseguiu levar a yorkshire Mel para tratar os dentes, experimentar sorvete canino e fazer caricatura ao lado da dona.

Ainda houve desfile de cães campeões de raça, apresentações de adestramento, concursos e espaço para agility - esporte que conta com corrida de obstáculos para cães, que são guiados pelos donos. Foram colocados bebedouros caninos no trajeto da caminhada, além de ambulâncias para animais e humanos. Para participar do evento, os donos tinham de cumprir a obrigatoriedade do uso da coleira para todos os cães e focinheira para cachorros das raças mastim napolitano, pit bull, rottweiler e american staffordshire terrier.

Nas bikes. Durante a Cãominhada, o casal Rogério e Fabiola Nascimento passeou com o vira-lata Raj e aproveitou para adotar mais um cachorro. "A família aumentou agora. Não temos filhos e a Maya (cachorrinha adotada) é a nova integrante da família", disse Fabiola.

Profissão Adestrador: saiba como fazer parte da equipe de Alexandre Rossi

Por Alexandre Rossi

Galera, o vídeo desta semana é especial! Vamos mostrar os bastidores de como é feito o treinamento dos adestradores da Cão Cidadão. Se você quer saber como é que a Cão Cidadão seleciona os adestradores que formam a minha equipe, não deixe de assistir!



Dr. Pet no Zoo: bastidores do caso da Elefanta Bambi

Por Alexandre Rossi

Oi pessoal, tudo bem?

E aí, o que acharam do caso exibido ontem no Domingo Espetacular? O desafio era fazer com que a Bambi, uma elefanta de mais de 4 toneladas, deixasse o veterinário e o tratador fazerem as unhas de suas patas. Pode parecer bobagem, mas infecções nas unhas são uma das principais causas de morte de elefantes criados em cativeiro.

Quem perdeu o caso da Bambi ou quer rever o quadro, pode assistir aqui no blog:

E, mais uma vez, o pessoal do R7 estava lá acompanhando tudo e gravou os bastidores com exclusividade aqui para o blog! Confiram o vídeo:

É isso aí, gente! E se você não sabe como resolver o problema do seu pet e quer a minha ajuda aí na sua casa, descubra como participar do quadro Dr. Pet na TV clicando no link abaixo:
http://noticias.r7.com/blogs/dr-pet/novos-casos/

Hep Do Bob

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Noticias Do Bob! De Dia 23/04 e 21/04!


Oi Gente se não sabe hoje minha vizinha ganhou um cachorro da raça pudow mais ele e bem pequeno ele choro , choro ate que meu pai conseguiu pegar ele e botar na minha casa ele ficou brincando comigo o dia todo !, ele e fofo , eu não tenho foto dele mais em fim vamos contar meu dia hoje quando meu pai me levou pra ver ele cortando o cabelo e fiquei olhando , ae depois ele me levo pra passear bom meu dia hoje foi muito legal e espero que amanha seja melhor ainda bom o pudow ainda não tem nome eu chamo ele de “Frederico”.ele vai ser meu melhor amigo.á também quarta – feira no dia 21 , eu fui na casa de scooby e madona lembra do post “Meus Amigos

“ scooby ta gigante eles queriam me atacar eu tive que ficar na casa ate que prederam madona e scooby ae eu fiquei solto!,tinha ate esquecido de postar isso mas posto hoje bom to de mau com vocês eu perguntei pra vocês se eu comece trés vezes ao dia eu fica gordo e vocês não me responderam em?,mas to brincando eu vou procurar pela a internet,xau beijos ate a próxima pessoal.

CCZ de São Paulo realiza evento de adoção neste sábado

Por Alexandre Rossi

ccz_campanha

Oi pessoal, tudo bem com vocês?

Hoje passei pra dar um recadinho bem bacana pra quem mora em São Paulo. O Centro de Controle de Zoonoses de São Paulo, o CCZ, vai promover sábado agora, dia 24, das 10h às 16h, um evento especial: Adoção Sem Preconceito. O objetivo é oferecer um novo lar a mais de cem cães e 40 gatos idosos e deficientes. Os animais já estão vermifugados, castrados e vacinados.

Quem tiver pensando em adotar um novo amigo não pode perder esta oportunidade! O CCZ fica na Rua Santa Eulália, 86, no bairro de Santana, na capital paulista.

Como lidar com o cão hiperativo

Por Equipe Cão Cidadão

caes_hiperativos

O cão é considerado hiperativo quando seu comportamento é acelerado o tempo todo, o que dificulta o relacionamento com seus proprietários. Este nível de atividade é determinado pela raça, idade, sexo, condição corporal, entre outros fatores. Por ser uma medida subjetiva, está sujeita a disparidades de opiniões entre veterinários. Não existe uma linha que separa claramente um cão normal de um cão hiperativo.

A hiperatividade geralmente já pode ser observada pelo comportamento do filhote: aquele que vai correndo quando cada pessoa aparece, pula sem parar, lambe e brinca, tem maiores chances de ser um cão hiperativo. E geralmente é este filhote que nos encanta, e que acabamos levando pra casa!

Existem algumas causas que podem desencadear este distúrbio, tais como alergias alimentares ou aumento de alguns hormônios, como o estrógeno, por exemplo. No geral, o que acontece atualmente é que raças selecionadas para trabalho, que suportam uma atividade intensa e que devem ser hiperativos para exercerem sua função, foram para dentro de nossas casas, e agora são animais de companhia. Sem atividade suficiente, o cão começa a destruir objetos, tentar chamar a atenção do dono o tempo todo, e até mesmo desenvolver comportamentos compulsivos, como lamber as patas ou correr atrás do rabo, sem parar.

Algumas dicas para lidar com o cão hiperativo:

• A educação é fundamental: imponha limites, ensine comandos e estabeleça uma rotina para seu cão. Dê atenção e carinho para ele. Se ficar com dúvidas ou tiver dificuldades, consulte um profissional;

• Exercício constante: além de queimar energia, ajuda na produção de substâncias e hormônios que aumentam a sensação de bem estar. Procure fazer caminhadas, e brincadeiras bem animadas. É uma das melhores maneiras de interagir com seu cão, de forma agradável e saudável;

• Recompense comportamentos que aliviam a ansiedade: se o seu cão busca um brinquedo toda vez que alguém chega, e fica mordiscando-o enquanto recebe carinho, recompense-o e estimule este comportamento. É uma maneira que o cão encontrou de aliviar a ansiedade pela chegada daquela pessoa.

É importante ressaltar que um cão hiperativo precisa de atividade e atenção. Muitas vezes, esses cães acabam ficando longe do convívio social, por serem difíceis de controlar. Neste caso, procure ajuda de um profissional. O cão merece conviver com os membros da família, e cabe a nós fazermos desta relação a mais harmoniosa possível.

Texto: Caroline Serratto (Adestradora Cão Cidadão)
Revisão e Edição Final: Alex Candido

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Dicas Dog Chow: Cuidados especiais para cães idosos

As 10 perguntas que mais fazem ao Dr.Pet

Por Alexandre Rossi

a esta as perguntas que fazem a Alexandre Rossi o DrPet

Por Alexandre Rossi

Estopinha_Dr_Pet_2

Foto: Welber Osti

1. Dr. Pet, você é veterinário?
Algumas pessoas sempre me perguntam se sou veterinário, mas não sou não. Sou formado em Zootecnia pela USP e fiz uma especialização em Comportamento Animal na Universidade de Queensland na Austrália. Quando voltei, concluí meu mestrado em Psicologia também pela USP.

2. É verdade que você começou a adestrar ainda criança?
Verdade. Muita gente acha estranho, mas comecei a adestrar quando tinha uns seis anos, como eu disse no vídeo aqui no blog. Tinha um aquário em casa e comecei ensinando os peixes a passarem por argolas na hora de receber a comida. Desse momento em diante, eu soube o que queria fazer!

3. Que tipos de bichos diferentes você já adestrou?
Nossa… Muitos! Mas um dos mais exóticos, com certeza, foi o hipopótamo Joe, que eu adestrei para uma propaganda! Tive que passar várias noites dormindo ao lado dele durante o treinamento! Outro adestramento super bacana foi um no qual eu treinei algumas lhamas! Tive que ensiná-las a cuspir sob comando! Rs Também já adestrei elefantes, iguanas, macacos, jaguatiricas e até borboletas.

4. Como eu faço para adestrar o meu cachorro com o Dr. Pet?
Atualmente, me dedico totalmente as gravações do quadro Dr. Pet. Mas tenho uma empresa, a Organização Cão Cidadão, que possui profissionais altamente qualificados que oferecem serviços de adestramento e consultas de comportamento em domicílio. Quem quiser saber um pouco mais é só acessar o site: www.caocidadao.com.br

5. Você dá cursos ou palestras?
Sim! Junto com o pessoal da minha Equipe Cão Cidadão, eu ministro cursos, palestras e workshops. Pra saber quais os próximos eventos, é só ficar ligado na Agenda do site da Cão Cidadão: www.caocidadao.com.br/agenda

6. Quantos livros você já escreveu?
Ao todo são sete. Recentemente, lancei uma nova edição, revisada e ampliada, do meu livro “Adestramento Inteligente”. Um dos primeiros que escrevi foi o livro “Meu Irmão, o Cão”, que fiz em parceria com a veterinária Regina Rheingantz Motta. Em seguida, vieram três volumes da série “Conhecendo seu melhor Amigo”, em parceria com Mauro Anselmo Alves. Os fãs de gatos também não foram esquecidos! Rs Em 2008 publiquei um livro chamado “O Segredo dos Gatos”, que escrevi com a veterinária Paula Itikawa.

7. Como é fazer o quadro Dr. Pet no Domingo Espetacular?
A experiência de fazer o Dr. Pet está sendo incrível! Através das dicas que eu dou durante o programa, eu acabo ajudando não só aquela família do caso, mas milhares de pessoas em casa, que também estão enfrentando problemas parecidos. Acho que proporcionar um convívio melhor entre o animal e a sociedade é a minha missão, e fico super feliz de a Record abraçar esta causa junto comigo, me oferecendo uma estrutura e profissionais que são show!

8. Como eu faço para participar do quadro Dr. Pet?
Para participar do quadro Dr. Pet, você pode mandar o link de um vídeo do caso do seu bichinho no site do Domingo Espetacular: http://www.rederecord.com.br/programas/drpet/home.asp
Caso não tenha como gravar, você pode escrever para doutorpet@caocidadao.com.br e mandar um texto, se possível com fotos, falando sobre o problema do seu animal de estimação.

9. Como você adotou a Estopinha?
Apesar de ter pouco mais de 1 ano, a Estopinha já passou por poucas e boas. Chegou a ser adotada, mas, por ser muito sapeca, foi devolvida duas vezes. Quando entrei no lar provisório onde ela estava e vi aqueles bigodões não tive dúvidas! Rs Além de minha assistente no quadro, a Estopinha se tornou a minha grande companheira. E é uma excelente aluna, pois tem aprendido muito rápido também!

10. Onde está a Sofia?


Com certeza está é a pergunta que mais me fazem ultimamente! Inclusive aqui nos comentários! Rs A Sofia está bem! Muitas pessoas já sabem que a Sofia é o único cão no mundo que se comunica com os seres humanos através de um painel eletrônico, utilizando sinais arbitrários para dizer quando quer brincar, quando quer comida, quando quer sair para passear, etc… A Sofia participa de um importante estudo sobre Cognição Canina na USP, e para se dedicar melhor a sua vida a acadêmica, ela deixou de me acompanhar nas gravações do Dr. Pet. Por isso, fiquem tranquilos, a Sofia está muito bem de saúde! Sempre que me perguntam dela, eu fico super feliz de ver o carinho que todos demonstram!

Pra quem ainda não viu, o Dr Pet fez um vídeo explicando tudo direitinho:

Podcast do Dr. Pet: o uso da focinheira

Por Alexandre Rossi

focinheira


O Podcast de hoje traz um tema bem polêmico: a focinheira, um equipamento muito controverso e que, com o uso indevido, pode até trazer riscos a saúde do animal. Para saber mais sobre este tema, clique no link abaixo e ouça o Podcast.

Clique aqui para ouvir!

O Blog


O Blog Do Bob e isso ai Noticias,Vídeos,Fotos,Dicas,materias expeciais,e adote não compre!essa e a logo marca oficial do Blog do Bob!.Quem já seus dois mesês de vida!heuahuuehuahe,com mais de 100 postagems!.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Cão esperto sobe as escada



Conta Do Youtube De Meu Pai!

Spyke, o cão que anda de skate


Novas Fotos Do Bob!


Novas Fotos Novinha Do Bob!

Mestiço de sharpei preto para adoção em Canoas-RS!


Diretamente do blog da Elena, o Um Lar para Todos, apresento-lhes esse lindo mestiço de sharpei!

Ele é porte grande, um jovem de aproximadamente 1 ano de idade.

Muito manso com as pessoas conhecidas e um ótimo cão de guarda! Será doado castrado.

Hoje ele está morando provisioriamente em um estacionamento no centro de Canoas-RS. Eles cuidaram do filhotão, o trataram, e agora estão em busca de um lar de verdade para ele.

Se você simpatiza com essa raça que é uma gracinha e quer um amigão, adota ele!

Fala com a Alessandra Dubles: aledubles@gmail.com ou (51) 9204-8777. Canoas-RS

Comilão!


Olha Como eu Como Muito Trêz Vezes ao dia queria saber se eu comer trêz vezes ao dia direto eu fico obeso , pow galerinha ajuda ai =) , quero muito saber falo?.

Dicas Dog Chow: Como lidar com ciúme entre cães?

Saiba tudo que você precisa para viajar de avião com seu cão

Por Equipe Cão Cidadão

cao_viagem_aviao

Se nessas férias você vai viajar de avião com o seu cachorro, saiba que além de colocar os brinquedos e ossinhos dele na bagagem, você tem que ficar atento a alguns detalhes muito importantes.

O principal deles é saber qual a documentação necessária para que ele possa embarcar com você. Geralmente, você tem que levar a guia de transporte do animal, um atestado de saúde e o comprovante de vacinação. Mas o ideal é consultar a companhia aérea no momento em que comprar as passagens, pois alguns destinos internacionais são bem rigorosos com a entrada de animais estrangeiros.

Para fazer uma viagem tranquila, algumas companhias aéreas costumam dar sedativo ao cachorro para que ele fique mais calmo dentro da caixa de transporte. Se esse for esse o seu caso, evite que esta seja a primeira vez que o seu cachorro passa por essa situação. Consulte um veterinário de sua confiança sobre a possibilidade de dar o sedativo dias antes do voo, e observe a reação do cão ao medicamento. Isso porque, alguns remédios podem causar efeito contrário e o cachorro, ao invés de calmo, ele pode ficar bem mais agitado. O mesmo vale para a caixa de transporte. O ideal é que o seu cachorro já esteja acostumado a dormir dentro dela. Importante: o cão deve conseguir ficar em pé e dar uma volta dentro da caixa de transporte. Se isso não acontecer, providencie uma outra caixa maior, que seja mais adequada ao tamanho dele.

Seguindo estas dicas você e seu cão terão um voo tranquilo e chegarão mais dispostos para aproveitar bastante a viagem!

Texto, Revisão e Edição Final: Alex Candido

Mantendo a paz entre os gatos

Por Equipe Cão Cidadão

evitar_brigas_gatos

Quanto maior o número de gatos que moram juntos numa mesma casa, maiores as chances de surgirem brigas. O controle do território e a competição pelos recursos como água e alimento são alguns dos principais fatores que podem favorecer as disputas entre os felinos.

As relações de amizade entre os gatos não são constantes – um bichano que era bem aceito no grupo pode passar a ser hostilizado, principalmente depois de um banho ou uma ida ao veterinário, por voltar com um cheiro diferente… Assim como um gato que era atacado pode passar a ser tolerado, se o agressor achar que será difícil expulsar seu “rival”.

A castração

As brigas são mais comuns entre machos não castrados, embora possam fêmeas e animais castrados também possam ser agressivos.

A castração dos animais é muito recomendada por diminuir a agressividade, as disputas por parceiros sexuais e controle do território.

Os recursos e o ambiente

A disposição das vasilhas de ração e água, camas, caixas higiênicas, arranhadores e brinquedos no ambiente, deve ser feita de modo que, nenhum dos felinos possa ter o controle visual de nenhum destes recursos ao mesmo tempo.

Uma dica bacana é que a casa tenha várias fontes de água e os bichanos que não se toleram sejam alimentados separadamente, evitando disputas.

O número de caixas de areia, que devem estar espalhadas distantes umas das outras, deve ser um a mais do que o número de gatos na casa. Assim para 5 gatos devemos ter 6 caixas de areia. Isso porque, um gato mais tímido pode sentir-se intimidado com a presença de outro gato e deixar de usar o banheirinho.

Ferormônios

Ferormônios são odores produzidos por animais que podem influenciar seu comportamento. O F3 (feliway) e o F4 (felifriend) já são sintetizadas artificialmente. São utilizados na forma de aerossóis ou difusores elétricos. Seu principal efeito nos gatos é reduzir o estresse. Em alguns casos, podem ajudar a diminuir a agressividade.

Associações positivas

Outra dica legal é promover a amizade entre os felinos através de associações positivas quando o agressor estiver na presença do bichano atacado, como receber carinho, participar de brincadeiras, ou ganhar algum petisco do qual ele goste muito. Ambos vão associar a presença uma do doutro a coisas legais e tendem a parar com a implicância.

E não tenha pressa forçando as aproximações! Gatos estressados não aceitam alimento e podem até atacar quem está por perto! Nestes casos, reprima sempre as investidas do agressor, com um borrifador ou jato de ar, fazendo com que ele falhe, até que ele desista de atacar.

Texto: Cláudia Terzian (Adestradora Cão Cidadão)
Revisão e Edição Final: Alex Candido

Dia De Tiradentes




Joaquim José da Silva Xavier nasceu na Fazenda do Pombal, entre São José del-Rei (atual Tiradentes) e São João del-Rei, em 1746. Filho do português Domingos da Silva dos Santos e de Antônia da Encarnação Xavier Brasileira, perdeu a mãe aos nove e o pai aos onze anos. Seu padrinho, que era cirurgião, o acolheu ensinando-lhe noções práticas de medicina e odontologia, de onde lhe adveio o apelido de Tiradentes. Morreu solteiro, mas consta que manteve relações com uma viúva, moradora nos arredores de Vila Rica, com a qual teve uma filha natural de nome Joaquina.

Mesmo sem ter feito estudos regulares, adquiriu razoável soma de conhecimentos. Com pouco mais de 30 anos, sentou praça no Regimento dos Dragões de Minas Gerais, sendo nomeado pela rainha D. Maria I, em 1781, comandante de patrulha do Caminho Novo, estrada na qual eram transportados para o Rio de Janeiro o ouro e os diamantes extraídos na Capitania de Minas Gerais.

Sonhador e idealista, Tiradentes envolveu-se profundamente na Inconfidência Mineira. Em 1787, pediu licença de seu regimento e viajou para o Rio de Janeiro, onde conheceu José Álvares Maciel, recém-chegado da Europa com novas idéias políticas e filosóficas. De volta a Vila Rica, em 1788, passou a divulgar publicamente os ideais do movimento, intensificando sua articulação.

Denunciada a conspiração por Joaquim Silvério dos Reis, em 1789, Tiradentes foi preso no Rio de Janeiro, permanecendo incomunicável numa masmorra escura por quase três anos. Durante o processo de investigação, denominado Devassa, foi ouvido quatro vezes e confrontado com seus denunciadores e co-réus. A princípio negou tudo, mas diante de outros depoimentos assumiu a responsabilidade do levante, inocentando os demais conspiradores.

Sua sentença de morte foi lida a 18 de abril de 1789 e, três dias depois, foi executado em forca erguida no campo da Lampadosa (hoje Praça Tiradentes), no Rio de Janeiro. Além de enforcado, Tiradentes foi decapitado e esquartejado, sua cabeça exposta em Vila Rica e os quatro quartos do corpo dependurados em postes ao longo do Caminho Novo, que ele tantas vezes percorreu. Seus bens foram confiscados e sua memória declarada infame.

Mesmo após a independência do Brasil, em 1822, Tiradentes não seria reconhecido como mártir da Inconfidência Mineira. Somente em 1867 é que se ergueu em Ouro Preto um monumento em sua memória, por iniciativa do presidente da província Joaquim Saldanha Marinho. Mais tarde, no período republicano, o dia 21 de abril se tornou feriado nacional, e, pela lei 4.867, de 9 de dezembro de 1965, Tiradentes foi proclamado patrono cívico da nação brasileira.

Inconfidência Mineira – O movimento mineiro foi o primeiro a realmente manifestar com clareza a intenção da colônia de romper suas relações com a metrópole. Outras rebeliões já haviam ocorrido na colônia que, no entanto, possuíam reivindicações parciais, locais, que nunca propuseram a Independência em relação a Portugal. A importância da Inconfidência Mineira reside no fato de exprimir a decadência da política colonial e ao mesmo tempo a influência das idéias iluministas sobre a elite colonial que, na prática, foi quem organizou o movimento.

http://cidadeshistoricas.terra.com.br/historia/bio_tir.htm
http://www.historianet.com.br/main/conteudos.asp?conteudo=275

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Como ensinar o cão a fazer xixi no lugar correto?

Por Equipe Cão Cidadão

xixi_no_lugar_certo

Seu novo cãozinho chegou em casa e depois de alguns minutos lá está ele…. fazendo xixi no tapete! Muitos donos acham que esfregar o focinho do cachorro no xixi é a melhor forma de resolver a situação. Esqueça! Isso não funciona, e ainda pode trazer problemas futuros. Ele não aprende desta forma! E além de tudo, você pode estar dando ao cão exatamente o que ele quer: a sua atenção!

O treino deve começar cedo, logo quando o filhote chegar em sua casa. Não é difícil, mas requer calma e paciência. Para isso temos que colocar uma rotina, levar o cão várias vezes ao local apropriado, assim que ele acordar, depois de comer, antes de dormir. Temos que estimular que ele use o lugar correto.

O local onde ele deve fazer suas necessidades deve ser um lugar de fácil acesso, e longe da caminha e das vasilhas de água e ração. Forre a área apropriada com bastante jornal e, com o tempo, vá reduzindo o espaço. Uma outra opção, aceita e aprovadas por muitas pessoas, é o uso de tapetes higiênicos – encontrados em petshops. Eles absorvem melhor a urina e tem um cheirinho que estimula os filhotes fazerem as necessidades ali.

Quando o cachorro fizer o xixi no lugar certo, fale com ele: “Xixi, muito bem!!! Xixi! Isso, xixi!!!” E logo que o cão terminar de fazer as necessidades, dê a ele um delicioso petisco, para que ele associe que, cada vez que usa o lugar certo para fazer xixi, ele recebe uma recompensa. Neste exato momento, o animal também estará recebendo sua atenção e ficará feliz com isso. Faça este procedimento várias vezes.

Importante: não esqueça que, o cão pode errar, então não fique bravo! E lembre-se que, se você usar violência para repreender seu cachorro, você pode ocasionar sérios problemas, como por exemplo, o cão ter medo de fazer suas necessidades na sua frente. Se isso acontecer, ele vai fazer em lugares escondidos e longe de você…

Outra coisa que pode acontecer, é o cachorro passar a errar de propósito, porque sabe que assim ele consegue a sua atenção. Por isso, cuidado com as suas reações!

Evite também limpar o xixi na frente do cão. E, durante a limpeza, use um neutralizador de ambientes. Este é um produto especial para eliminar o cheiro de urina – e pode ser encontrado em petshops.

RESUMO DAS DICAS:

• Definir o local correto e não deixar o pote de alimento, caminha ou brinquedos nesta área.
• Seguir uma rotina e deixar claro o que é certo.
• No começo, colocar vários locais como “banheiros” para o cão e ir reduzindo aos poucos.
• Recompensar quando ele acertar o local.
• Não dar bronca e não limpar o xixi na frente dele.

Texto: Karina Pongrácz (Adestradora Cão Cidadão)

Revisão e Edição Final: Alex Candido

Meu Niver De Mês atrazado!


É no dia 18 de Novembro eu nasci ontem eu completei 5 meses mais não postei pois tava sem net quando eu nasci era tão pequeno agora estou aqui quase um rapazinho , com um mês de blogueiro postando varias noticias de min dos cachorros e do dr pet um belo programa que eu adoro

“nacsi para viver , deixe me viver” , e essa frases geralmente e para pessoas mais cachorros como meu também tem vida ontem eu fiquei brincando com Lua e Luana eles comemoraram meu aniversariozinho.rsrs.bom que gosta de min da up porfavor !;Parabéns Para Miin @@. abraços =).

sábado, 17 de abril de 2010

Geraldo Luís e seus Cães

geraldo-cachorro

geraldo-cachorro1

geraldo-cachorro3

geraldo-cachorro4

Para quem não sabe que Geraldo Luís não tinha cães ae esta!

Dicas Dog Chow: Como incentivar o cão a comer?

O menor cão no Programa do Gugu - Dá-lhe Pablo e viva os Chihuahuas!

Dicas Pet: como acostumar o gato a tomar banho?

Por Equipe Cão Cidadão

banho_gato

Muita gente pensa que é impossível dar banho em gatos, mas os bichanos podem sim gostar de tomar banho! O ideal é ensinar o gatinho a tomar banho logo nas primeiras semanas de vida. Mas sempre com muito cuidado para a experiência não virar trauma! Um erro muito comum da maioria dos donos é tentar dar um banho completo em um gato que nunca passou por esse procedimento antes. Não é bem assim que funciona…

Se o felino for contido por muito tempo contra a sua vontade, esfregado, enxaguado e secado, além do pavor que a água é capaz de causar, isso pode fazê-lo associar o banho a algo super desagradável. O segredo é acostumar o gato às etapas do banho, separadamente, antes de dar o banho completo.

Um dia você molha as patinhas dele na água. No outro esfrega um pouco a toalha nele. Depois, acostume-o com o barulho do secador, assim por diante…

E sempre associando cada um destes momentos a coisas bacanas, como carinhos, brincadeiras e petiscos.

Quando ele não demonstrar medo em nenhuma das etapas, você já pode dar o banho completo!